Quais as indicações para a remoção dos dentes do siso?

  • Prevenção da pericoronarite (infecção dos tecidos ao redor do dente);
  • Prevenção da reabsorção radicular do dente vizinho;
  • Prevenção dos cistos e tumores odontogênicos;
  • Prevenção da dor de origem desconhecida;
  • Prevenção da fratura da mandíbula;
  • Facilitação do tratamento ortodôntico;
  • Otimização da saúde periodontal.

Perguntas Frequentes

O que é um dente impactado?

Um dente impactado é aquele que não consegue erupcionar (nascer), não atingindo sua posição na arcada dental, dentro do tempo esperado. Se não removidos podem trazer sérios problemas como a formação de cistos e tumores. Ainda que a maioria dos dentes impactados seja representada pelos terceiros molares, outros dentes podem estar impactados, como o canino e pré-molar. O procedimento usual para os terceiros molares é a sua remoção, entretanto para outros dentes impactados pode ser a exposição, verticalização, transplante ou remoção.

Porque os dentes se tornam impactados?
  • Falta de espaço na arcada dental;
  • Erupção dificultada pelos dentes adjacentes;
  • Denso revestimento ósseo;
  • Excesso de tecido mole (gengiva).
Os dentes do siso impactados sempre devem ser removidos?

Na maioria dos casos sim. Muitas vezes os dentes impactados não são tratados até que alguma complicação apareça, mas um estudo conduzido pela Associação Norte Americana de cirurgiões bucomaxilofaciais, indica que os dentes do siso devem ser removidos cirurgicamente quando o paciente é jovem, entre os 16 e 22 anos, a fim de prevenir futuros problemas, que podem trazer sérias complicações.

O que é realizado na cirurgia?

Durante a cirurgia, realiza-se desgaste ósseo ao redor do dente impactado, delicadamente com lâminas para motor ultrassônico e ou brocas apropriadas. Após o desgaste ósseo é realizado cortes no dente para que seja removido de forma delicada, sem traumas cirúrgicos desnecessários. Isso é fundamental para um pós-operatório tranquilo, sem dor e com pouco edema (inchaço).

A cirurgia para remoção dos dentes do siso é demorada?

Não. Passar 2 ou 3 horas na cadeira do cirurgião dentista para remover o dente do siso, nos dias de hoje, é algo inconcebível. As técnicas cirúrgicas e os instrumentais atuais, permitem a realização da cirurgia com segurança, rapidez e sem complicações. Nos dias atuais remove-se os quatro dentes do siso impactados em uma hora. Por isso é importante a procura de um especialista em cirurgia bucomaxilofacial para realizar a cirurgia.

Onde é realizada a cirurgia para remoção dos dentes do siso?

A cirurgia pode ser realizada no consultório com anestesia local ou anestesia local + sedação endovenosa. Também pode ser realizada nos melhores hospitais de São Paulo, dependendo do caso, sob anestesia geral. Você poderá discutir com o Dr. Luis Pagotto as opções que se adaptem melhor a seu caso.

EXODONTIAS – EXTRAÇÕES DE DENTES

Você pode precisar extrair um ou mais dentes por uma série de razões, tais como cárie extensa sem possibilidade de tratamento, fratura da raiz, processos infecciosos, doença periodontal ou como parte do tratamento ortodôntico. Seja qual for a razão, você provavelmente vai ser encaminhado para um cirurgião bucomaxilofacial, que irá remover o dente no próprio consultório, usando um anestésico local apropriado para esse procedimento, sem dor e com total conforto.

Qual a importância dos substitutos ósseos após extrações dentárias?

Após a extração de um dente, o osso e o tecido gengival tendem a encolher se não forem tomadas medidas de precaução. Via de regra, aproximadamente 50% da largura e altura do alvéolo são reabsorvidos. Isso pode tornar o volume ósseo insuficiente para a colocação de um implante, ou poderá causar um espaço sob uma prótese dental, o que produzirá um defeito funcional e estético importante e perceptível.

Preencher o alvéolo com um substituto ósseo diretamente após a extração do dente pode preservar o volume ósseo, e isso aumenta as opções para o sucesso de um tratamento posterior com implantes dentários ou próteses. Se um implante dental for inserido após a extração do dente, os substitutos ósseos colocados ao redor do implante também contribuem para a preservação do volume ósseo.

TRACIONAMENTO ORTODÔNTICO – DISPOSITIVOS DE ANCORAGEM (MINI-IMPLANTES

Dispositivos de ancoragem são usados ​​ocasionalmente em um curto período de tempo durante o tratamento ortodôntico. São pequenos parafusos de titânio que os ortodontistas usam para ajudar a reposicionar dentes, e são geralmente colocados pelo cirurgião bucomaxilofacial no consultório. Quando os dispositivos não são mais necessários, eles são removidos e o local é totalmente cicatrizado em poucos dias.

Com os mini-implantes todas as manobras de ancoragem e tracionamento ortodôntico ficaram mais fáceis e os resultados podem ser normalmente acelerados quando comparados com técnicas tradicionais.

FRENECTOMIA LABIAL E LINGUAL

Frenectomia labial ou lingual é o nome da cirurgia onde se reduz o freio labial que pode ser superior ou inferior, ou então o freio lingual, que fica localizado embaixo da língua.

Muitas vezes o freio labial superior provoca um espaçamento (diastema) entre os dentes incisivos centrais superiores, por estar em tamanho aumentado, sendo muito fibroso. A maioria das pessoas não gostam de ter um diastema, e acham esteticamente feio. Procuram então um cirurgião-dentista para corrigir o problema usando aparelhos ortodônticos.

Além do diastema, o freio labial superior pode provocar problemas periodontais causando retração gengival e o acúmulo de resíduos alimentares.

Algumas vezes o ortodontista indica frenectomia, pois a presença de um excesso de freio labial poderá provocar, depois de retirado o aparelho ortodôntico, reabertura do diastema.

A frenectomia lingual é indicada quando o freio lingual é muito curto, ocasionando uma perda importante de mobilidade da língua, que esteja interferindo no processo normal da mastigação e principalmente da fala.

Algumas pessoas que apresentam o freio lingual curto, tem grande dificuldade em pronunciar as palavras corretamente e consequentemente de serem entendidas normalmente.

 

INFECÇÕES DA BOCA E FACE

A maioria das infecções que acometem a boca, a face e os maxilares são de origem odontogênica, devido a dentes cariados não tratados, insucesso no tratamento endodôntico (tratamento de canal), dentes do siso parcialmente impactados (semi-inclusos) e doenças da gengiva.

Estas infecções devem ser tratadas no seu início através de cirurgia para drenagem, remoção da causa e antibioticoterapia, evitando-se que a infecção desça para o pescoço e tórax e ou suba para as meninges e encéfalo.

Quando não tratadas no início ou de maneira inadequada, podem se transformar em situações graves com risco de morte, requerendo internação hospitalar de urgência.

 

APICECTOMIA – CIRURGIA APICAL

Enquanto a maioria dos tratamentos endodônticos (tratamento de canal) são bem sucedidos, há momentos em que somente o tratamento endodôntico não é suficiente. Quando ocorre a formação de uma lesão óssea no ápice da raiz do dente, seu cirurgião dentista poderá encaminhá-lo para um cirurgião bucomaxilofacial para realizar uma apicectomia.

Apicectomia é uma cirurgia que remove a lesão óssea e a ponta da raiz do dente infectado, com o objetivo de curar a infecção óssea e do dente. Muitas vezes é necessário a colocação de substitutos ósseos na região apical, de onde se retirou a lesão óssea, para uma melhor e mais rápida cicatrização óssea.

Entre em contato

Preencha o formulário e entraremos
em contato com você em  breve
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.